Adobe Flash Player não instalado!
Você precisa do Flash Player para executar o tocador de músicas. Clique aqui para ir a página de downloads.

Fatos HistA?ricos

DE ALCOBAAi??A A TUCURUA?

Cada lugar tem sua histA?ria de origem. Desde os primeiros tempos, o homem tem se preocupado em registrar as maravilhas do mundo. De lA? pra cA?, as antigas escrituras encontradas tornaram-se para a humanidade o A?nico meio de conseguir informaAi??Ai??es dos acontecimentos histA?ricos do cenA?rio onde nascemos ou vivemos.

Com o objetivo de avivar parte das memorias de nossa Cidade, esquecidas pelo tempo, o Museu Virtual de TucuruAi?? surge como uma ferramenta a mais, para a reconstruAi??A?o e consolidaAi??A?o da nossa identidade cultural.

A realidade de TucuruAi?? depende de dois momentos histA?ricos. O primeiro foi Ai?? implantaAi??A?o da Estrada de Ferro do Tocantins que visava superar as corredeiras e cachoeiras do Rio Tocantins, e a segunda foi Ai?? construAi??A?o da maior escultura do capital internacional da AmazA?nia, a HidrelAi??trica de TucuruAi??. Desses Projetos decorreram inA?meros condicionamentos que influenciaram atAi?? os hA?bitos dos moradores de TucuruAi??.

foto 01 cA?pia

FATOS HISTORICOS

O museu virtual de TucuruAi?? faz uma viagem cronolA?gica no tempo e destaca as principais datas e fatos que marcaram o curso da HistA?ria desse importante municAi??pio paraense, detentor de grande potencial energAi??tico e econA?mico.

Os principais fatos histA?ricos que deram origem ao contexto em que hoje se apresenta inserida a HistA?ria de TucuruAi??, surgem no PerAi??odo Colonial, mais precisamente por volta do ano de 1625.

PERIODO COLONIAL – 1625

O Frei CristA?vA?o de Lisboa, a mando da coroa portuguesa , chega a regiA?o para tentar contato com os Ai??ndios, dando continuidade ao processo de catequizaAi??A?o e formaAi??A?o de missAi??es, iniciado desde o descobrimento do Brasil.
Nesse perAi??odo o Governador da ProvAi??ncia do GrA?o-ParA? era o CapitA?o-Mor Bento Maciel Parente (de 18/06/1622 a 06/12/1626).

foto 04 cA?piafoto 05 cA?pia

Os primeiros habitantes da regiA?o onde surgiria o municAi??pio de TucuruAi?? foram os Ai??ndios Assurinis do TrocarA?, os ParakanA?s e os GaviAi??es da Montanha.

AssurinisGaviAi??es

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Indios gavioes

 

06 ParakanA?s

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1781

O entA?o Governador, JosAi?? NA?poles Telles de Menezes, funda o lugarejo de SA?o Bernardo de Perdeneiras, Ai??s margens do Rio Tocantins, municAi??pio de BaiA?o. O lugar tinha duplo carA?ter sobre a navegaAi??A?o: Fiscal e Militar. Era preocupaAi??A?o da coroa a presenAi??a de espanhA?is, franceses e holandeses na regiA?o, que tambAi??m tinham grande interesse nas abundantes riquezas da regiA?o.

DSC09628

perdeneiras foto 14 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

1782

O Governador Telles de Menezes criou o Registro de AlcobaAi??a com o carA?ter militar e alfandegA?rio, visando conter a fuga dos escravos de CametA?. Nesse mesmo ano, o Major JoA?o Vasco Manoel Brawm, vindo instalar o Registro de AlcobaAi??a, encontrou o Mocambo da negra Felipa Maria Aranha.

DSC09631

DSC09629

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando o governador mandou construir um Forte de Faxina, jA? existia no local um Mocambo comandado por uma mulher chamada Felipa Maria Aranha uma negra, lAi??der feminina que liderou o Mocambo de AlcobaAi??a.

negra Felipa - mocambo organizado foto 09 cA?pia

foto 09 Registro de AlcobaAi??a cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

Ela tinha sobre seu poder cerca de 300 negros que haviam fugido de engenhos da regiA?o de CametA?. Os negros que haviam fugido da escravidA?o viviam em uma verdadeira repA?blica, com jurisdiAi??A?o policial por eles criada, promovendo a agricultura de subsistA?ncia, e Ai?? a partir daquele Mocambo que se inicia a historia do atual municAi??pio de TucuruAi??.Ai?? Ai?? Ai??Ai??

foto 09 cA?pia

PERIODO IMPERIAL

1868

O General JosAi?? Vieira Couto de MagalhA?es fez o levantamento da Carta HidrogrA?fica dos Rios Araguaia e Tocantins com o objetivo de mandar por via fluvial, muniAi??A?o para as tropas brasileiras para atacar o exercito paraguaio por sua retaguarda, com isso o governo Imperial deu-lhe a concessA?o da navegaAi??A?o dos Rios Araguaia/Tocantins.

mapa da estrada de ferro tocantins - manuscrito 11 cA?piaAi??Mapa Manuscrito da RegiA?o

1870

Em 31 de outubro deste ano, atravAi??s da lei nA? 661, o lugarejo SA?o Bernardo de Perdeneiras passa a ser chamado de Freguesia de SA?o Pedro do Alto Tocantins, ficando situado no municAi??pio de BaiA?o, lugar de maior aglomeraAi??A?o populacional, naquele trecho do Rio Tocantins. Nesse perAi??odo governaram o Estado do ParA?: Abel GraAi??a e Joaquim Pires Machado Portela (1870-1871).

13 perdeneiras cA?pia

 

 

 

 

 

 

1875

A Freguesia de SA?o Pedro do Alto Tocantins passa a ser denominada Freguesia de SA?o Pedro de AlcobaAi??a, atravAi??s da Lei nA? 839, de 19 de abril. Nessa Ai??poca o Governo do Estado era Francisco Maria de SA? e Benevides (1875 a 1876). TucuruAi?? passou a ser conhecido como AlcobaAi??a, nome tirado de um lugar do reino de Portugal. Sua finalidade era domesticar os Ai??ndios, aprisionar escravos fugitivos, contrabandistas de ouro que desciam das minas goianas e mato-grossenses, pelo Rio Tocantins.

sA?o Bernardo de Perdeneira 10 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

1885

Pelo Decreto 9.405 de 21/03/1885 foi dada a concessA?o a JosAi?? Negreiro de Almeida Sobrinho para construir uma estrada de ferro entre AlcobaAi??a, no ParA?, e Boa Vista, em GoiA?s, com garantia de juros de 5% sobre o capital mA?ximo de 16 mil contos de rAi??is.

1885- pioneiro eft 15 cA?pia

1909 foto 20 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

PERIODO REPUBLICANO

1890Ai??

AtravAi??s do Decreto nA? 862, de 16 de outubro depois de formada a ai???Companhia de ViaAi??A?o FAi??rrea e Fluvial do Tocantins Araguaiaai???, o Governo Republicano concedeu ao General Joaquim Rodrigues de Moraes Jardim a liberaAi??A?o da companhia para a construAi??A?o da Estrada de Ferro Norte do Brasil. O Governador do Estado nessa Ai??poca era Justo Leite Chermont (1889 a 1891)

foto 26

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1894

Instala-se em AlcobaAi??a a Companhia de NavegaAi??A?o FAi??rrea Fluvial/Araguaia-Tocantins, com objetivo de construir a Estrada Ferro Tocantins ligando AlcobaAi??a atAi?? a Praia da Rainha no municAi??pio de Itupiranga (175 km), vencendo o trecho de corredeiras do Rio Tocantins melhorando assim o intercA?mbio com o Estado de GoiA?s.

foto 22 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1895

Iniciam os trabalhos da construAi??A?o da Estrada de Ferro Norte do Brasil. InA?meras pessoas deslocam-se para a regiA?o em busca de trabalho, principalmente nordestinos, mocajubenses e cametaenses.

foto 17 os imigrantes cA?pia

Ai??

 

 

 

 

 

 

1905

A Companhia de Estradas de Ferro do Norte do Brasil consegue emprAi??stimo no exterior para dar cumprimento ao seu contrato de construAi??A?o, cujos trabalhos foram iniciados nesse mesmo ano. O projeto tinha como objetivo a transposiAi??A?o do trecho entre TucuruAi?? e Jatobal, que dificultava a navegaAi??A?o entre o ParA? e GoiA?s pelos Rios Tocantins e Araguaia.

1905 foto 18

 

 

 

 

 

 

 

 

1908

Em 1908, foram iniciados os trabalhos, tendo em 1916 sido alcanAi??ado o quilA?metro 82, na metade do trecho AlcobaAi??a-Praia da Rainha, quando por dificuldades financeiras, a Companhia concessionA?ria entrou em liquidaAi??A?o.

Foi entA?o suspenso o serviAi??o de seus trA?fegos terrestres e fluvial e comeAi??ou a odisseia que havia de marcar, tA?o tristemente, os dias da desditosa ferrovia. Primeiramente entregue ao depositA?rio judicial, foi essa estrada de ferro vAi??tima de assaltos de quantos aventureiros acharam proveitoso o saque de seu material e acervo.

foto 39 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

1911Ai??

O Decreto 9.171 tenta mudar o ponto inicial da Estrada de Ferro Tocantins para CametA?, localizada a 201 km a jusante de AlcobaAi??a, fato este nA?o concretizado devido a forAi??as politicas e financeiras.

1914Ai??

As obras finalmente chegam ao quilA?metro 58. O Decreto 10.926 de 10/06/1914, devido a atrasos, concedeu novos prazos para o tAi??rmino da obra.

foto 17 cA?pia

1916Ai??

Os trilhos chegaram atAi?? o quilA?metro 82. Neste mesmo ano pelo Decreto 12.248 de 01/11/1916, foi feita uma revisA?o dos contratos, dado que nA?o poderiam ser cumpridos.

Estabeleceu-se que a estrada deveria alcanAi??ar o quilA?metro 100. Neste mesmo ano a Companhia se reorganizou, adotando a denominaAi??A?o de Estrada de Ferro do Tocantins.

 

foto 36 cA?pia

foto 19 - 1908 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

Ai??

 

1920

Pelo Decreto 14.369 foi declarada a caducidade da concessA?o por parte do Governo Federal reduzindo assim o valor da obra.

1922Ai??

O Governo Federal sob a presidA?ncia do Sr EpitA?cio Pessoa, arremata em hasta pA?blica, a ferrovia pela soma de R$ 1.218.000.000 (contos de reis).

foto 23 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

1924

O Ministro Pires, examina “in loco” as dificuldades da Estrada de Ferro Tocantins, encontrando problemas estruturais e orAi??amentA?rios, aconselha a imediata retirada dos trilhos daquele trecho da Estrada.

1925

O Governo Federal arrenda a ferrovia ao Governo do Estado do ParA? que, em angustiante crise financeira, muito pouco pode fazer para o seu desenvolvimento, neste mesmo ano foi nomeado dois administradores para a estrada.

foto 25 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1926

Muito precariamente, voltaram a circular trens no trecho reconstruAi??do da EFT, pelo Governo do ParA?, favorecendo alguns poucos fazendeiros da regiA?o, sendo que a locomotiva Arapari tracionou um trem carregado de castanha-do-parA?.

foto 27 cA?pia

Ai??Ai??

 

 

 

 

 

 

1927Ai??

Visando o estabelecimento do trA?fego rodo ferroviA?rio, o Estado do ParA? constrA?i a ligaAi??A?o rodoviA?ria da ponta dos trilhos atAi?? a cachoeira de Itaboca.

1928

Queda da ponte de madeira sobre o Rio PucuruAi??, no km 67, interrompeu novamente o trA?fego entre AlcobaAi??a e a ponta dos trilhos, provocando grande desanimo no governo estadual.

Ai??1927 foto 28 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

1932Ai??

O Governo do ParA?, do entA?o interventor Federal MagalhA?es Barata, devido a problemas de interrupAi??A?o de trA?fego, solicitou ao governo federal a rescisA?o do contrato de arrendamento da Estrada de Ferro Tocantins, ficando a administraAi??A?o da ferrovia entregue Ai?? Ai??Inspetoria Federal de Estradas.

Ai??foto 30 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

1939Ai??

A Inspetoria Federal de Estradas conseguiu colocar em trA?fego toda a extensA?o da ferrovia e iniciou os trabalhos de prolongamento atAi?? Jatobal.

foto 21 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

Ai??

 

1943

Por forAi??a do Decreto-lei nA? 4.515, em 30 de dezembro, a Freguesia de SA?o Pedro de AlcobaAi??a passa a denominaAi??A?o definitiva de TucuruAi??. O novo nome, cujo significado Ai?? ai???Rio das Formigas ou ai???Rio dos Gafanhotosai???. O Estado era Governado por Joaquim de MagalhA?es Cardoso Barata (1943 a 1945).

Ai??foto 38 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

1944Ai??

A ponta dos trilhos chega a Jatobal, embora o trA?fego nA?o estivesse aberto devido Ai?? falta de pregaAi??A?o de talas, alargamento de aterros, etc. Ainda neste mesmo ano atravAi??s do Decreto-Lei 7.173 de 19/12/1944, a administraAi??A?o da Estrada de Ferro Tocantins passou para a FundaAi??A?o Brasil Central.

Ai??1908 foto 19 cA?pia

 

 

Ai??

Ai??

 

 

 

 

 

1947

AtravAi??s da Lei nA? 062, de 31 de dezembro deste ano, TucuruAi?? Ai?? desmembrada de BaiA?o e elevada Ai?? condiAi??A?o de municAi??pio. A partir daAi?? o povoamento do lugar se dA? de forma acelerada, nA?o sA? em funAi??A?o das riquezas naturais disponAi??veis, mas tambAi??m pela comunicaAi??A?o com a RegiA?o Centro-Oeste. TucuruAi?? passa a ser um movimentado entreposto comercial da regiA?o formada pelos Rios Tocantins e Araguaia.

mapa araguaia-Tocantins

Ai??

Ai??

 

 

 

 

 

 

1948

Acontecem as primeiras eleiAi??Ai??es para prefeito. Assume a Prefeitura o Sr. Alexandre JosAi?? FrancA?s, nesse mesmo ano a CA?mara Municipal de TucuruAi?? foi instalada.

foto 47 cA?pia

foto 42

 

 

 

 

 

 

 

 

1953

Neste ano aconteceu a 2A? eleiAi??A?o municipal, sendo eleito o Sr. Nicolau Zumero que tinha sido Vice prefeito do seu Mimico.Ai??Foram adquiridas duas locomotivas e seis vagAi??es pranchas, da Estrada de Ferro Sorocabana, pelo intermAi??dio do DNEF, para a EFT. A primeira locomotiva adquirida para a Estrada de Ferro Tocantins chegou em junho de 1953.

foto 45 cA?pia

HistComercio09 cA?pia

 

 

 

 

 

 

 

 

1957

O aproveitamento do potencial do Rio Tocantins passa a ser de grande interesse do Governo Federal. ComeAi??am ainda nesse ano, os estudos para a construAi??A?o da Usina HidrelAi??trica de TucuruAi??. Estes estudos se estenderam pela dAi??cada seguinte. Neste mesmo ano o Sr Alexandre JosAi?? FrancA?s Ai?? novamente eleito Prefeito de TucuruAi??.

Ai??foto 24 saudando novos administradores cA?pia

 

 

 

 

 

Alexandre JosAi?? Frances pela 2A? vez Prefeito de TucuruAi??.

mimicoo

Seu Mimico(braAi??o estendido) pela 2A? vez Prefeito de TucuruAi??.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1961

AtravAi??s de eleiAi??A?o direta foi eleito Prefeito de Tucurui o Sr JosAi?? Kleber Beliche – 1961 a 1964.

kleber Beliche

seu LelAi?? – (braAi??o estendido) – 1961 a 1964

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1966

O Decreto 58.992/66 dispA?s sobre a extinAi??A?o de ramais antieconA?micos e sua substituiAi??A?o por rodovias. Isto determinou a extinAi??A?o da Estrada de Ferro Tocantins e sua substituiAi??A?o pela Rodovia BR-135. O Prefeito de TucuruAi?? na Ai??poca era o Sr Raimundo Ribeiro de Souza que tambAi??m havia sido Diretor da Estrada de Ferro Tocantins.

ribeiroo

Raimundo Ribeiro de Sousa Prefeito-1965 a 1968

Ai??

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Raimundo Ribeiro de Sousa Prefeito-1965 a 1968

1969

A Estrada de Ferro Tocantins entra em decadA?ncia e falA?ncia, o Prefeito era novamente o Sr JosAi?? Kleber Beliche que nada podia fazer para evitar o que estava por vir.

 

DAi??CADA DE 1970

decada de 70 tucurui

 

 

 

 

 

 

 

Na dAi??cada de 70 iniciam-se os trabalhos para a construAi??A?o da hidrelAi??trica e o municAi??pio comeAi??a a ganhar a infraestrutura necessA?ria. SA?o construAi??dos um aeroporto e vilas para abrigar os operA?rios, engenheiros e demais funcionA?rios da obra.(Vilas Permanente e TemporA?rias I e II).As vilas da Eletronorte foram bem planejadas, contando com A?gua e esgoto tratados, ruas pavimentadas com espaAi??os verdes, supermercados, escolas, creches, clubes, entre outras comodidades.

Ai??faixa cA?pia

 

 

 

 

 

1972

A EletrobrA?s Eletronorte iniciou os estudos de InventA?rio HidrelAi??trico da Bacia do Rio Tocantins, analisando-se desde sua nascente atAi?? a confluA?ncia com o Rio Araguaia. A divisA?o de quedas estabelecida nesses estudos apontou o aproveitamento de TucuruAi?? como o mais interessante a ser implantado em primeira ediAi??A?o e, antes da conclusA?o do inventA?rio, foi iniciado o Estudo de Viabilidade da Usina de TucuruAi??.

www.museuvirtualtucurui.com.br

Corredeiras na Cachoreira Itaboca – antes da barragem

Ai??

Ai??

 

 

 

 

 

 

 

Ai??

1973

Em 20/06/1973 foi fundada as Centrais ElAi??tricas do Norte do Brasil S/A – Eletronorte, que passou entA?o a coordenar a realizaAi??A?o dos trabalhos que atAi?? aquele momento estavam sob a responsabilidade da Eletrobras.

Sem tAi??tulo

 

 

 

 

 

A Eletronorte contratou o ConsA?rcio Engevix-Themag para realizar o desenvolvimento do Projeto bA?sico da UHE TucuruAi??.

2008

 

 

 

 

 

 

 

1974Ai??Ai??Ai??Ai??Ai??

JA? na administraAi??A?o municipal de Manoel Carlos Silva os trilhos da Estrada de Ferro Tocantins sA?o definitivamente arrancados. Um lamento muito grande para uma cidade que via o seu crescimento sendo travado com o fim da Estrada de Ferro Tocantins.

ponte

 

 

 

 

 

 

 

 

A Locomotiva Ai??BelAi??m faz a sua ultima viagem e dA? seu apito final. A velha ferrovia foi extinta Ai??em 17/11/1973.

11

Desfile 7 de setembro – 60 anos

antiga 14(2)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EpAi??logo do texto do FerroviA?rio Orlando Silva, escrito pela ocasiA?o do fechamento da Estrada de Ferro Tocantins.

“Tudo estA? consumado. Ouvimos o que foi a despedida dos ferroviA?rios Ai?? sua velha estrada. LA?grimas incontidas e rebeldes correram de muitos pares de olhos. De nada serviu, o A?culos escuro de que me armei. VA?rias vezes usei o lenAi??o. NA?o pude colocar a pedra recomendada pelo Diretor Raimundo Ribeiro de Souza no lugar do meu coraAi??A?o. Ele mesmo, o Diquinho, mesmo com uma pedra no coraAi??A?o, fumou vA?rios cigarros antes do discurso que proferiu. Trocou o coraAi??A?o, mas quase corta os lA?bios de tanto mordA?-los. Agora resta-me apenas dizer mais um ‘ADEUS’ Ai?? Estrada de Ferro Tocantins! Fostes riscada do plano ferroviA?rio, mas ninguAi??m poderA? riscar-te do meu coraAi??A?o. ai???EstA?s pagando o preAi??o do progresso do Brasilai??i??”.
60

 

 

 

 

 

 

 

Ai?? TUCURUA? RECEBE SEUS IMIGRANTESAi??

08

Faixa Apresentada no Desfile de 60 anos de TucuruAi??

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PerAi??odo ContemporA?neo

Ai??1975

Em 25/07/1975, ainda sob a administraAi??A?o municipal de Manoel Carlos Silva, com a implantaAi??A?o da Vila Pioneira, iniciou-se a construAi??A?o da Usina a cargo da Empresa ConstruAi??Ai??es e ComAi??rcio Camargo CorrA?a S/A.

39

Alojamento da Vila Pioneira

 

 

 

 

 

 

 

 

Durante a execuAi??A?o das obras da etapa inicial, e paralelamente aos estudos energAi??ticos, o consA?rcio Engevix-Themag deu inAi??cio aos estudos de engenharia civil e eletromecA?nica, visando Ai?? definiAi??A?o das estruturas e dos equipamentos da expansA?o dos trabalhos. TrA?s fatos marcaram essa fase:

1 – A remoAi??A?o de toda uma populaAi??A?o de trA?s povoados localizados na A?rea a ser inundada para a formaAi??A?o do reservatA?rio: Novo Repartimento, Breu Branco e JacundA?.

 ConstruAi??A?o das novas vilas

ConstruAi??A?o das novas vilas, Breu, Repartimento

 

 

 

 

 

 

 

 

2 – A retirada de madeira – a concessA?o foi dada Ai?? Empresa CAPEMI, que nA?o cumpriu o contrato. Resultado: cerca de 125 mil hectares de madeiras ficaram submersas pelo lago da usina.Ai??

42

CAPEMI – NA?o cumpriu contrato

43

Mata submersa no lago da Usina

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 – O resgate de animais (OperaAi??A?o Curupira) ai??i?? apesar dos esforAi??os, milhares de espAi??cies de animais morreram em funAi??A?o do rA?pido enchimento das A?guas.

4546

OperaAi??A?o CurupiraAi??

 

 

1976

A Cidade de TucuruAi?? comeAi??a a sentir os ventos de um novo projeto de desenvolvimento, inicio da infraestrutura da cidade e do desmatamento do local onde seria construAi??do as vilas residenciais.

47

Ai??

Ai?? Ai??49Ai??Ai??

 

 

 

 

 

 

 

1977

JA? sob a administraAi??A?o municipal do Sr. Pedro Paulo Antonio MilAi??o, num perAi??odo de transiAi??A?o da Estrada de FerroAi??Tocantins para Usina HidrelAi??trica de TucuruAi??, teve inicio oficial as obras civis da construAi??A?o da usina.

mileo

2

 

 

 

 

 

1978

LanAi??amento da primeira caAi??amba de concreto na obra da usina de TucuruAi??, neste mesmo ano foi concluAi??do a construAi??A?o de uma vila para abrigar os trabalhadores que viriam de todas as RegiAi??es do Brasil.Ai??

4

5

3

 

 

 

 

 

 

1979

Inicio da construAi??A?o das obras, foi elaborado tambAi??m o plano de controle ambiental, com o objetivo de amenizar os impactos que iriam ser gerados com a formaAi??A?o do lago da usina. O Rio foi desviado e as construAi??Ai??es estavam bem aceleradas, nA?o se imaginava o que estava por vim. Ai??

6

7

8

 

 

 

 

 

 

1980

Assinado os primeiros contratos de fornecimento de energia com o Estado do MaranhA?o, com objetivo de fornecer energia para a RegiA?o Oeste do Estado. SA? que o fato que marcou esse ano foi a cheia do Rio Tocantins que inundou toda a parte baixa da cidade.

10

Ai?? Ai??11Ai??Ai??9Ai??

 

 

 

 

 

1981 – 1982

Chegada dos primeiros equipamentos importados. Energia fornecida pela ChesfAi??abastece canteiro de obras. No auge da obra o canteiro chegou ao montante de mobilizar 30.200 pessoas, um formigueiro que fazia jus ao nome da Cidade de TucuruAi?? (Rio das Formigas).

buy Sildalis online cheap, clomid reviews. 12

25

 

 

 

 

 

1983

Chegada das primeiras rodas de turbina e transformadores, a obra comeAi??a a chegar ao seu fim.

13

Ai??

 

 

 

 

 

1984

Na administraAi??A?o de Claudio Furman, a Usina HidrelAi??trica de TucuruAi?? tem sua 1A? etapa concluAi??da em 22 de novembro de1984 e Ai?? inaugurada pelo entA?o Presidente JoA?o Batista Figueiredo, com potA?ncia instalada de 4000 MW. A partir daAi??, teve inicio do enchimento do reservatA?rio.Ai?? A segunda etapa Ai?? concluAi??da apenas em meados de 2007 elevando a capacidade para 8000 MW.

14

15Ai??16

 

 

 

 

 

1985

Entrada em operaAi??A?o da terceira, quarta e quinta turbinas. ConclusA?o da OperaAi??A?o Curupira, com o resgate de 682Ai??animais.

17

18

 

 

 

 

 

 

1986 – 1987

Entra operaAi??A?o a sexta turbina.Ai??O sul do ParA? comeAi??a a ser atendido. Entra em operaAi??A?o o segundo circuito da LT Presidente Dutra-SA?o LuAi??s. Entra em operaAi??A?o a sAi??tima e oitava turbinas e a desativaAi??A?o do parque tAi??rmico de BelAi??m.

 

1988 ai??i?? 1989 – 1991

Duplicada a LT entre a Usina e a subestaAi??A?o Presidente Dutra (MA). E sA?o energizados os transformadores das subestaAi??Ai??es Vila do Conde (PA), MarabA? (PA), Imperatriz (MA) e Presidente Dutra (MA). Entram em operaAi??A?o a nona, aAi?? dAi??cima,Ai?? e Ai??a 11A? Ai??turbinas.

 

1992

ConclusA?o da primeira fase com a operaAi??A?o da 12A? turbina (05 de novembro de 1992), totalizandoAi??Ai??4.245 MW de potA?ncia instalada. Neste mesmo ano TucuruAi?? perde grande parte de seu territA?rio com a emancipaAi??A?o de Novo Repartimento e Breu Branco.

 

1998

Retomada as obras de construAi??A?o da segunda etapa da Usina HidrelAi??trica de TucuruAi??, com previsA?o para instalaAi??A?o de mais onze unidades geradoras.

 

2002 – 2003

AprovaAi??A?o do Plano de InserAi??A?o Regional (PIRTUC). ConclusA?o da barragem de terra. AprovaAi??A?o do Plano de Desenvolvimento SustentA?vel a Jusante ai??i?? PDJUS. Entrada em operaAi??A?o comercial da 13A?, 14A? e 15A? turbinas.

 

2004

InAi??cio da implantaAi??A?o do Mosaico de Unidades de ConservaAi??A?o e do Parque Estadual da Serra dos MartAi??rios/Andorinhas. Aprovado convA?nio do Projeto de Ordenamento Territorial da RegiA?o a Jusante da Usina HidrelAi??trica TucuruAi??. Nesse mesmo ano entra em operaAi??A?o a 16A? e 17A? turbina.

19

Ai??

 

 

 

 

2005 ai??i?? 2006

Entrada em operaAi??A?o da 18A?, 19A?, 20A?, 21A?, 22A? e 23A? turbinas.

Ai??

2006

Ai?? concluAi??da a segunda etapa da Usina HidrelAi??trica de TucuruAi??. Segundo o governo, cerca de 40 milhAi??es de brasileiros serA?o beneficiados com a oferta de energia.

20

 

 

 

 

 

 

2007

SA?o retomadas as obras das Eclusas de TucuruAi??, iniciadas em 1981 e paralisadas por falta de verbas. As eclusas sA?o de suma importA?ncia para a regiA?o, considerando-se que passa a ser um trecho vital para o escoamento da produAi??A?o da RegiA?o Centro-Oeste do Brasil.

 

2010

InauguraAi??A?o das Eclusas de TucuruAi?? em 30/11/2010.

O Prefeito Sancler Ferreira emocionado falou: ai???Hoje se vira a pA?gina do maior passivo socioambiental da Usina HidrelAi??trica de TucuruAi??, as Obras das Eclusas que demoraram 29 anos atAi?? ficarem prontas e vem trazer de volta a navegabilidade do Rio Tocantinsai???.

21

 

 

 

 

 

 

A Governadora do ParA?, Ana JA?lia Carepa, declarou que o Estado tem uma nova rota de escoamento da produAi??A?o e de transporte. ai???As Eclusas comeAi??am a viabilizar a Hidrovia Araguaia-Tocantins.Ai??Os custos do transporte no ParA? vA?o ser reduzidos em atAi?? 15%. Vamos garantir a verticalizaAi??A?o da produAi??A?o, para que seja gerado emprego e renda no Estado do ParA?ai???.

1621800_710353895651520_1832227782_n

 

 

 

 

 

O Presidente Lula falou sobre as eclusas e destacou a importA?ncia do seu papel social: ai???Essas eclusas que inauguramos hoje, que Ai?? uma obra gigantesca, sA? terA?o sentido se significarem a melhoria da qualidade de vida de mulheres e homens desse PaAi??sai???. Se elas apenas beneficiarem grandes grupos econA?micos, estaremos apenas repetindo os erros histA?ricos do Brasil, onde quem era rico ficava mais rico, e quem eraAi??pobre, ficava mais pobreai???.

22

 

 

 

 

 

 

A Presidenta eleita Dilma Rousseff, afirmou: ai???Hoje Ai?? um momento em que vemos uma grande obra ser finalizada. Todos ficamos impressionados quando a porta da eclusa se abriu e se fechou. Ai?? uma obra de engenharia impressionante,mas, por trA?s da obra, o que tem sA?o as vidas e as oportunidades para as pessoas. Ai?? isso que importa. As eclusas de TucuruAi?? abrem para o Estado do ParA?, para a regiA?o Norte e Nordeste, uma oportunidade de crescimento econA?mico, de geraAi??A?o de emprego e renda. Essa foi uma obra de equipe, em que atuaram os ministAi??rios dos Transportes, de Minas e Energia, do Meio Ambiente e das Cidadesai???.

14802_612296202157308_1105641850_nAi?? Ai??198210_151653964896831_2203591_n

 

 

 

 

 

Esperamos que aconteAi??a a navegabilidade dessa engenharia e que seus moradores nA?o fiquem sA? a ver as barcaAi??as passando com nossas riquezas. Cumpram, seu papel social, como bem disse o Presidente Luiz Inacio Lula da Silva.

23

 

 

 

 

 

 

Obrigada a todos os trabalhadores anA?nimos, aos idealizadores, aos primitivos, as mulheres, jovens, aos filhos da barragem, movimentos sociais, a todas as autoridades que tiveram a coragem e a ousadia de construir essa Historia com amor, dedicaAi??A?o e muito trabalho, ajudaram na construAi??A?o desse PaAi??s. Acima de tudo, obrigada a DEUS ONIPOTENTE-(A TI SENHOR TODA HONRA E TODA GLORIA). Eu como filha desta Cidade, hoje compreendo o significado do suor, do sangue e das lagrimas aqui derramadasAi?? desses pioneiros desbravadores que desde 1625 atAi?? os dias de hoje 2013, constrA?i a Historia de TUCURUA?.

O que eu nA?o posso deixar de dizer, que esse monumento foi feito para o Brasil, Ai??para o meu povo, ficaram as mazelas, eu nA?o tenho meus castanhais, meus igarapAi??s Santos e Santana, Minha Cidade cresceu sim, mais seu povo ficou pobre de cultura, os ribeirinhos perderam os peixes, Ai??o mundo de hojeAi??com certezaAi??nA?o Ai?? o mesmo de ontem. Muito Obrigada as minhas filhas: Kiara. Kiane, Karolina e meu esposo Zebino a toda minha famAi??lia, pessoas amigas e milhares de conhecidos que me ajudaram na elaboraAi??A?o desse Projeto de vida.

Socorro Pompeu (Filha de TucuruAi??)

24

Ai??

Ai??

Ai??

Ai??

Ai??

 

F O N T E Ai?? D E Ai?? P E S Q U I S A

"... dentro de cada um de nós, todo mundo tem uma historia para contar!"

(94) 8146-7447 / 9138-0191
contato@museuvirtualtucurui.com.br