Belém 400 anos de História

12510352_1704970783057455_2217800136010134181_n

Quem puder não perca essa oportunidade

Marque na sua agenda. No próximo dia 17 de janeiro, tem mais um passeio a pé, de graça, para você conhecer uma cidade ainda desconhecida de muitos.

Pelas ruas do Bairro da Cidade Velha é coordenado pelo Grupo de Pesquisa de Geografia do Turismo da Faculdade de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPA, uma homenagem aos 400 anos da capital. e os 05 anos do projeto da UFPA,

Domingo , dia 17 de janeiro de 2016, com saída do Forte do Presépio às 8:30hs.

Inscrições gratuitas :
Formulário: http://goo.gl/forms/MQDpQ0065n
Email : roteirosgeoturisticos@gmail.com

Roteiro : Forte do Castelo – Feira do Açaí – Complexo Feliz Luzitania – Rua Siqueira Mendes – Praça e Igreja da Sé – Rua Joaquim Távora – Largo e Igreja de São João – Rua Tomázia Perdigão – Palácio do Governo – Prefeitura – Praça Dom Pedro II – IHGP – Rua Pe. Champgnat – Museu do Círio

Forte do Castelo

O Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém, popularmente referido como Forte do Presépio, localiza-se sobre a baía do Guajará, na ponta de Maúri à margem direita da foz do rio Guamá, na cidade de Belém no estado brasileiro do Pará.. Dominando a entrada do porto e o canal de navegação que costeia a ilha das Onças.

Constitui-se num dos mais procurados pontos turísticos da cidade, por sua localização privilegiada e seu sentido histórico. Integrante do complexo arquitetônico e religioso da cidade velha, a Feliz Lusitânia.

800px-FortePresepio2-CCBY800px-Forte_do_Castelo

Ladeira do Castelo
A primeira rua de Belém, na verdade, é a Rua Siqueira Mendes, antiga Rua do Norte (Ernesto CRUZ, História de Belém, Belém, Ed. UFPA, 1968, 2 v.) Há casos em que a Ladeira do Castelo costuma ser registrada como a primeira rua da cidade de Belém, localizado ao lado do Forte do Presépio, ligando a Praça da Sé a Feira do Açaí. Na verdade, o traçado Norte/Sul; Leste/Oeste das “cidades novas” portuguesas reforça o registro da historiografia regional sobre o pioneirismo da Rua Siqueira Mendes/Rua do Norte, inclusive pela ligação do Largo da Sé (atual Praça Frei Caetano Brandão) com o Largo do Carmo.

Igreja de Santo Alexandre

A Igreja e Colégio de Santo Alexandre foram a sede da Companhia de Jesus na cidade de Belém do Pará na época do Brasil colônia. O antigo complexo jesuíta, um dos mais importantes ainda existentes no país, abriga atualmente o Museu de Arte Sacra do Pará.

800px-Belem-StoAlexandre1
Igreja de Santo Alexandre

Feliz Luzitânia

Feliz Lusitânia, denominação usada por colonizadores portugueses para o núcleo inicial do município de Belém (Estado do Pará), atualmente sendo um complexo turístico do Governo do Estado (resgatado por Paulo Chaves Fernandes segundo a lógica da gentrificação ou enobrecimento) o qual reforça as origens ibéricas e o exotismo dos habitantes primitivos, situado no centro histórico e região mais antiga do município de Belém do Pará, o bairro da Cidade Velha.

Cidade Velha

Belem_hafen
Rua Marques de Pombal

A Cidade Velha é o bairro mais antigo de Belém do Pará, onde surgiu a cidade, a partir do seu descobrimento por Francisco Caldeira Castelo Branco, em 12 de janeiro de 1616. Possui inúmeros prédios coloniais históricos, com azulejos portugueses, muitos dos quais tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

Suas ruas apresentam nomes de cidades ou personalidades, principalmente portuguesas e brasileiras, tais como: Av. Portugal, Rua de Aveiro, Cidade Irmã, Rua de Óbidos, Rua de Breves, Rua Dr.Assis, Rua Dr.Malcher, Rua Siqueira Mendes, Av. Almirante Tamandaré, Rua Ângelo Custódio, Rua Félix Roque, Rua Padre Champagnat, Boulervard Castilho França. O bairro da Cidade Velha divide com o bairro da Campina, regiões popularmente conhecidas por Comércio, devido predominância quase que exclusiva de lojas, armarinhos, escritórios, cartórios e bancos.

A cidade velha foi criada, às margens do rio, com a principal função de exportar e importar borracha na época do Ciclo da borracha. Os casarões antigos da Cidade Velha são sobreviventes da história da fundação da cidade e do Ciclo da Borracha, que trouxe muito dinheiro e luxo europeu para Belém, presente até hoje em suas fachadas e estruturas. São um elo entre a origem da população de Belém e os dias de hoje.

800px-Belém_Praça_do_Relógio_Clock_Place_01
Praça do Relógio

Casa das onze Janelas

Importante marco urbanístico em Belém erguido no século XVIII, por Domingos da Costa Barcelar, um rico senhor do engenho. Em 1768, foi convertida em hospital militar pelo governo do Grão-Pará. A casa teve funções militares entre até 2001, quando foi comprada pelo governo estadual para servir como ponto turístico da capital.

800px-CasaOnzeJanelas1
Casa das onze janelas

Livro Evolução Histórica de Belém do Grão Pará

image1 (4)

Como nem tudo são flores fica aqui o registro, todos tem que fazer a sua parte para cuidar  do meio ambiente.

994731_1082351391795713_8267211786035359144_n